Drones: Ifood obtém autorização da Anac para testar drones na entrega de alimentos

 

 

A tecnologia já é responsável por levar a um patamar muito superior diversas experiências em todos os segmentos da economia, mas agora ela vai dar um up grade também no setor de delivery: a Anac autorizou que o Ifood utilize drones para agilizar as entregas de refeições a seus clientes.

Só que o equipamento não sairá da empresa com os alimentos e terá como destino final a porta do cliente. Não. A partir do próximo mês, em caráter experimental, os drones serão utilizados em duas rotas na cidade de Campinas, interior de São Paulo. A primeira rota será entre a praça de alimentação do Shopping Iguatemi Campinas e o Ifood Hub, que também está localizado no mesmo shopping, a uma distância de aproximadamente 400 metros. Um mensageiro da empresa será encarregado de pegar os pedidos na praça de alimentação e levar ao andar superior, onde fica a área de decolagem do equipamento. Dali o pedido segue para o Ifood Hub, onde um colaborador o pega e faz a entrega normal ao cliente. A expectativa de empresa é economizar em média 10 minutos nessa viagem do drone.

A segunda rota também sairá do Ifood Hub, mas será para fazer a entrega num condomínio vizinho ao Shopping Iguatemi Campinas. Nesta rota, a empresa deve economizar 6 minutos no tempo de entrega.

Drones: velocidade e praticidade

Segundo informações do Ifood, os drones poderão carregar até 2 kg de alimentos, atingindo uma velocidade máxima de 40 km por hora, a uma altura média de 60m.

Para o consumidor final da empresa, nesse período de testes, não haverá grandes mudanças na experiência em si, porque os pedidos que serão entregues pelo equipamento serão escolhidos por um algoritmo que avalia trajetos, distâncias e qual o tempo gasto em determinado percurso. Isso tudo de forma automática.

Mas para a startup de entregas da empresa muita coisa muda, pois através das aeronaves será possível determinar se esse tipo de equipamento melhora a eficiência do processo e quais tipos de cidade poderão receber essa evolução na entrega. Justamente por isso a cidade escolhida para o início dos testes foi Campinas, sugerida pela Anac por causa de seu relevo.

Outro ponto positivo da utilização dos drones, segundo o Ifood, é que será possível diminuir o valor da entrega para o consumidor final, já que a aeronave voa em linha reta, não demorando no trânsito e seus percalços, barateando assim o custo.

Mais Postagens

2020-09-15T19:19:44-03:00